terça-feira, 4 de maio de 2010

Não me peçam para não morrer de saudades


Há um ano atrás estava eu no cortejo do Porto. Um enooorrmmeee friozinho da barriga, as cordas vocais no seu máximo, a cabeça a tilintar. Abraços, Sorrisos, Congratulações. Medo, Orgulho, Felicidade. Um misto enorme deste três.

Hoje dava tudo para voltar a estar ali, como nos últimos 5 anos. Percorrer aquelas ruas. Vestir aquela côr. Gritar por Engenharia.

Não acho que a minha vida esteja pior que no ano passado, só diferente. Tenho menos tempo mas mais regular. Mais responsabilidades mas mais dinheiro. Novo sítio, nova cidade, novo projecto, nova rotina, novas pessoas, novos desafios, novas metas.

Sim, eu adoro isto tudo. Mas não me peçam para não querer fechar os olhos e voltar lá uns dias, para querer viver aquilo tudo outra vez. Não me peçam para não estar aqui a morrer de saudades. Porque elas ficam sempre quando os momentos foram realmente bons.

5 sentidos:

Lua Escondida* disse...

E eu entendo-te tãão bem :)

Nokas* disse...

Tens toda a razão. Há muitos aspectos positivos em estar nesta nova etapa, mas não podemos deixar de olhar para trás e sentir aquela saudade imensa do cortejo, da queima, da "boa vida" quando se é estudante.

Raquel disse...

"É um contentamento descontente..."

Periquito disse...

É por causa disso que hoje lá vou dar um saltinho.

Sara Francisco disse...

Este ano foi a primeira vez que percorri aquelas ruas e vesti aquela cor. E já tenho um friozinho. Esta semana tem sido caracterizada por um montão de friozinhos, é possível não estar lá para o ano. :x
Mas faz parte e a nostalgia incomoda mas tem o seu lado positivo. :)