quarta-feira, 16 de junho de 2010

Dos Souvenirs

Não sei muito bem quando, mas acho que enjoei os típicos souvenirs. Já lá vão os tempos em que cheguei a casa literalmente carregada: camisolas, canecas, bonequinhos e demais tralha com fartura.  Em algum momento da minha vida, o meu cérebro fez *plim* e percebeu que no fundo, no fundo, aquilo não serve para grande coisa. É mais ou menos como as lembranças dos casamentos mas pior. Continuo adepta de um íman para o frigorífico, de um ou outro porta-chaves e de peças de roupa que possa usar sempre (ou brincos, lenços, pulseiras....). De resto, entro nas lojas e o meu cérebro liga um grande alarme vermelho a dizer "TRALHA". Não consigo gostar de nadinha. 

O melhor desta fase? Comprei 3 livros e um baralho de cartas com as dinastias inglesas. (Os livros em Inglaterra são estupidamente baratos).  

O pior desta fase? Trouxe duas latas de noodles para o meu namorado e um pacote de bombons (que aposto que 80% vai ser comido por mim). Não podem dizer que não sou original. Ele foi passear ao Alentejo e trouxe-me um CD autografado dos Virgem Suta. Aaaaaaahhhhh, É tão bom ser a melhor-pior-namorada-do-mundo.

2 sentidos:

Lila* disse...

Eu tb nc trago nada...mas qd fui a barcelona trouxe um cd super caro p nuno de hip hop e afinal qd ele foi ouvir nao era nada de hip hop...mas estava na secçao do hip hop!!!Eu n ia adivinhar!

Periquito disse...

lol, não deixou de ter a sua piada, e ao menos comprou da terrinha. olha se ela ia a barcelona e trazia algo em frances ou inglês...lol ;)

E noodles para mim? és uma ranhosa